JORNADAS SEFARDITAS UNIRAM PORTUGAL E ESPANHA

4 de julho de 2019

As Jornadas Sefarditas Hispano-Lusas realizaram-se em Torres Vedras, no dia 29 de junho. Esta iniciativa dedicada ao povo judeu teve como objetivo promover o reencontro do património ligado a esta comunidade, que se encontra repartido entre cidades de Portugal e Espanha.

Organizadas pela Câmara Municipal de Torres Vedras e pela Associação Be Sepharad – Legado Sefardí, com a colaboração da Cátedra de Estudos Sefarditas Alberto Benveniste, da Universidade de Lisboa, estas Jornadas foram compostas por dois momentos: uma oficina de escrita aljamiada e um concerto teatralizado de música sefardita.

A oficina de escrita aljamiada decorreu, durante a tarde, no Centro de Interpretação da Comunidade Judaica. Esta oficina foi orientada por Cristóbal José Álvarez López, bolseiro de investigação e professor na Universidade Pablo de Olavide, de Sevilha, que iniciou os 16 participantes na leitura e transcrição de textos sefarditas aljamiados, ou seja, textos escritos em judeu-espanhol, mas com caracteres hebraicos.

À noite, no claustro do Convento de Nossa Senhora da Graça, teve lugar um Serão alegre em Sefarad – Nochada Alegre en Sefarad, em judeu-espanhol –, com um concerto teatralizado de música sefardita, que contou com uma assistência de cerca de meia centena de pessoas.  Ao longo da noite, a atriz Isabel Guerra-Librero deu vida a um conjunto de personagens, representando mulheres sefarditas de diferentes épocas e lugares, dando a conhecer as histórias das suas vidas na diáspora pela Europa e pelo Mediterrâneo Oriental, numa fusão com as canções do seu tempo e lugar, interpretadas por Pepa Rull, acompanhada por Oscar Acedo e Juan Manuel Rubio.

O serão terminou com uma degustação de produtos da gastronomia local e sefardita.

Estas jornadas estão integradas no projeto “Sephardic Bridges”, desenvolvido pela Associação Be Sepharad – Legado Sefardí, com o apoio do Instituto Cervantes e do Turismo de Portugal, que visa estabelecer pontes entre Portugal e Espanha, ancoradas no legado sefardita que une ambos os países.