Mais de 300 Quilómetros na Frente

15 de julho de 2019

A Sicasal Constantinos foi uma das equipas em destaque na 42ª edição do Grande Prémio Internacional de Ciclismo de Torres Vedras, que percorreu entre a passada quinta-feira e domingo as estradas dos 12 concelhos que compõem a região Oeste de Portugal.  
A competição portuguesa há mais anos consecutivos inscrita no calendário da União Ciclista Internacional começou com um prólogo na Vila do Turcifal onde Miguel Salgueiro se destacou como o atleta sub-23 mais rápido. O ciclista de Odivelas obteve o 28º melhor tempo da geral, completando os 8 km do percurso em 10 minutos e 58 segundos.
A primeira etapa em linha saiu na sexta-feira com destino a Sobral de Monte Agraço a partir da maior adega cooperativa vitivinícola do país, na freguesia da Ventosa. Bastaram 20 km para se dar a grande fuga do dia, iniciada bem perto da Silveira, terra natal de Joaquim Agostinho. O grupo dianteiro formado por 7 ciclistas foi ganhando vantagem e à passagem por Torres Vedras o entusiasmo do público aumentou quando percebeu que nele vinha um homem da casa, Diogo Sardinha. O ciclista da equipa torriense acabaria por ser um dos heróis do dia ao pedalar cerca de 128 km na frente da corrida. Nos quilómetros finais assumiu a dianteira em dueto com Hugo Nunes do Boavista, mas foram alcançados pelo pelotão quando apenas restavam 8 km para a meta.
No terceiro dia de competição registou-se o honroso regresso à caravana do Sr. Comendador Álvaro Silva, administrador da indústria de carnes Sicasal e histórico impulsionador do ciclismo nacional. A partir da viatura do diretor desportivo assistiu ao ótimo desempenho da equipa, com especial destaque para Miguel Salgueiro que integrou a fuga do dia na companhia de mais 6 atletas. Numa etapa essencialmente caracterizada pelas 5 voltas ao tradicional e exigente Circuito de Torres Vedras, Salgueiro fez vibrar todo um povo que veio para a estrada aclamar à passagem dos ciclistas. Com apenas 20 anos comemorados recentemente, resistiu 85 km na frente da corrida, sendo apenas alcançado pelo pelotão poucos quilómetros depois do início da última volta. 
Para o último dia deste evento que se transforma anualmente na grande homenagem ao saudoso Joaquim Agostinho, estava guardada a "etapa rainha". Um traçado longo e bastante sinuoso onde a equipa de Torres Vedras voltou a estar em evidência através dos mesmos protagonistas. Primeiro foi Miguel Salgueiro que voltou a integrar uma fuga de sucesso e andou 95 km na cabeça da corrida até ao momento em que a prova se tornou mais propícia a trepadores. Ai entrou em ação Diogo Sardinha que viria a ser o melhor sub-23 na etapa. O atleta sintrense realizou uma escalada notável até ao Alto da Serra de Montejunto, onde chegou na 25ª posição a 3 minutos 25 segundos do duo que discutiu a etapa e que ditou o vencedor absoluto do Troféu Joaquim Agostinho, Henrique Casimiro da equipa Efapel. 
Com desempenho muito positivo, Sardinha galgou mais de 70 posições na tabela classificativa nas duas últimas etapas, terminando a prova na 36ª posição da geral, seguido do colega Marcelo Salvador que realizou uma prova bastante regular, terminando num honroso 37º lugar. Miguel Salgueiro concluiu na 71ª posição. 
Perante um pelotão inter-continental composto por 131 atletas em representação de 22 equipas, a Sicasal Constantinos terminou a participação no 42º Grande Prémio de Torres Vedras na 13ª posição da geral coletiva. 
        
TEXTO | AfterTwo //Works   
FOTOS | João Fonseca, Helena Dias e AfterTwo //Works