ASSEMBLEIAS MUNICIPAIS DA REGIÃO LUTAM POR NOVO HOSPITAL

11 de abril de 2019

Representantes das assembleias municipais dos concelhos que integram o Centro Hospitalar do Oeste e onde se situam unidades do mesmo reuniram-se no dia 9 de abril no edifício da Câmara Municipal de Torres Vedras.

Estiveram presentes nessa reunião os presidentes das assembleias municipais de Torres Vedras, Caldas da Rainha e Peniche, José Augusto Carvalho, Luís Lalanda Ribeiro e Américo Gonçalves, respetivamente, a vereadora com o pelouro da Saúde da Câmara Municipal de Torres Vedras, Ana Umbelino, a Comissão Permanente de Saúde da Assembleia Municipal de Torres Vedras, a Comissão Especial de Acompanhamento do Hospital da Assembleia Municipal das Caldas da Rainha e representantes de várias forças políticas da Assembleia Municipal de Peniche.

Esta reunião foi antecedida de um primeiro encontro realizado nas Caldas da Rainha, no dia 12 de março, entre as duas referidas comissões especializadas, o qual aconteceu por proposta da primeira como resposta a um relatório da segunda referida comissão, aprovado pela Assembleia Municipal das Caldas da Rainha a 9 de outubro e posteriormente remetido à Assembleia Municipal de Torres Vedras para conhecimento.

Nessa reunião, que teve como tema “Centro Hospitalar do Oeste – sua realidade atual e interrogações quanto ao futuro”, a par da abordagem às múltiplas e graves carências do mesmo (instalações degradadas e equipamentos obsoletos, falta de médicos, enfermeiros e outros profissionais de saúde), foi defendida a ideia de criação de um hospital central para o Oeste, sem prejuízo da realização de intervenções de melhoria nas unidades do Centro Hospitalar do Oeste já existentes, que passariam no futuro a ter funções de hospitais de recuperação. Para a criação do novo hospital para a região, foi sugerido que se procedesse à realização de um concurso público para a adjudicação do respetivo estudo, sendo que se envidará esforços para se candidatar essa obra aos fundos comunitários 2020/2030. Constituir uma “frente comum” para a prossecução destes objetivos foi uma ideia forte saída dessa reunião.

 

 

asda

 

 

Na reunião realizada esta semana em Torres Vedras foi reafirmado o consenso da necessidade da construção de um novo hospital para o Oeste e de complementarmente se lutar pela requalificação das três estruturas edificadas do mesmo existentes na consideração de que uma nova construção demorará entre 15 a 20 anos. A questão da localização do novo hospital da região não foi colocada nesta fase, por não se considerar a prioritária no momento. A mensagem essencial que saiu desta reunião é de unanimidade na defesa de uma ideia comum – a construção de um novo hospital de raiz para a região - e de que se aceitará a localização do mesmo com base nos critérios que se venham a definir.

Por unanimidade, os presentes na reunião decidiram que os próximos passos a dar serão:

1 - Na reunião da Assembleia Intermunicipal da OesteCim marcada para o próximo dia 16 será apresentada e defendida a criação de uma Comissão Intermunicipal Permanente de Saúde. Será ainda proposto ao executivo daquela comunidade intermunicipal a realização de um estudo (que deverá ser realizado mediante concurso público para ter a credibilidade necessária) com vista a caracterizar as carências existentes no Centro Hospitalar do Oeste e que permitam fundamentar a indispensabilidade de um novo hospital para a região e a necessidade de requalificar os edifícios deste centro hospitalar existentes;

2 - Nas sessões ordinárias das assembleias municipais de Torres Vedras, Caldas da Rainha e Peniche, agendadas para o próximo dia 29 de abril, será apresentada uma moção comum, para enviar às entidades competentes, defendendo os objetivos anteriormente explicitados;

3 - Será solicitada uma reunião entre representantes das referidas assembleias municipais e a administração do Centro Hospitalar do Oeste para demonstrar a união e consenso que os municípios de Torres Vedras, Caldas da Rainha e Peniche, por meio das suas assembleias municipais, conseguiram alcançar sobre a temática explicitada e identificar as medidas que já foram concretizadas desde a tomada de posse da nova administração daquele centro hospitalar, ou que estão em fase de concretização, e que afetam a funcionalidade das suas três unidades.

No próximo dia 21 de maio, em Peniche, terá lugar uma reunião em que se efetuará um balanço das diligências desenvolvidas e uma definição dos próximos passos a dar com vista à persecução dos objetivos anteriormente descritos.