MEMORANDO PARA A CRIAÇÃO DO TORRES VEDRAS HEALTH PARK FOR MULTIDISCIPLINARY CARE

2 de julho de 2019

O edifício do antigo Hospital Dr. José Maria Antunes Júnior, situado perto do Barro, que desde 2015 está encerrado e devoluto, vai dar origem a um espaço também dedicado à área da saúde, denominado Torres Vedras Health Park for Multidisciplinary Care.

Tratar-se-á de um espaço de referência dedicado à prestação de cuidados assistenciais, à formação de profissionais da saúde, ao ensino e à investigação em Medicina e em outras Ciências Biomédicas.

O memorando de entendimento para a criação deste equipamento foi assinado no dia 28 de junho, no espaço do referido edifício, envolvendo a Câmara Municipal de Torres Vedras e a Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa.

Segundo o documento, o Município de Torres Vedras compromete-se a: “promover a reabilitação do conjunto edificado do Hospital Dr. José Maria Antunes Júnior, que se encontra atualmente devoluto e num razoável/mau estado de conservação em função da idade e da desmaterialização levada a cabo em cada edifício, agravada pela exposição aos diversos atos de vandalismo e de furto que têm ocorrido nos últimos anos; e assegurar a procura e captação de fontes de financiamento, nacionais e comunitárias, com vista à reabilitação e refuncionalização do conjunto edificado do Hospital Dr. José Maria Antunes Júnior e área envolvente, e apoio à implementação das novas atividades que aqui forem desenvolvidas”.

Já a Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa compromete-se, segundo o memorando, a: “desenvolver um campus vocacionado para as atividades de ensino, assistenciais e de investigação, de índole multidisciplinar e interdisciplinar, nomeadamente, ao nível dos cuidados de saúde primários e de reabilitação, nas instalações do antigo Hospital Dr. José Maria Antunes Júnior; propor potenciais parceiros para a constituição de um consórcio, nomeadamente, nas áreas das ciências da saúde e tecnologias aplicadas à saúde; e colaborar na identificação de fontes alternativas de financiamento para a implementação dos cuidados assistenciais, ensino e investigação, delineados para este campus”.

Na cerimónia de assinatura deste memorando, o presidente da Câmara Municipal de Torres Vedras agradeceu a Joaquim Ferreira, presidente do Conselho Pedagógico da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, pela concertação de esforços realizada por si junto desta instituição, que foi determinante para a concretização do documento. Carlos Bernardes, a este propósito, relembrou que Torres Vedras pretende afirmar o seu cluster de saúde, tendo reassumido a vontade de trazer para o território do Concelho de Torres Vedras a “sociedade do conhecimento”, atraindo e fixando jovens qualificados. Realçou ainda aquele ser um “dia histórico” pelo facto de este ser o primeiro passo com vista à requalificação de um edifício mandado construir em 1570 pela infanta D. Maria (filha de D. Manuel I) como convento, o qual assumiu após a implantação da República as funções, sucessivamente, de asilo, sanatório e hospital. 

Por fim, o diretor da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, Fausto Pinto, enalteceu a iniciativa que considerou poder vir a ser “marcante para a região e para o país”, a qual se enquadra na visão estratégica da instituição que coordena, sendo “uma oportunidade que não se poderia deixar passar”. Acrescentou ainda que se trata do “desenvolvimento de um novo conceito”, “arrojado”, com uma dimensão que pode vir a ser “arrebatadora”, e que poderá dar uma nova imagem ao ensino académico, “ao trazer algo de novo que possa servir a comunidade”.

De referir que marcaram também presença na cerimónia de assinatura do mencionado memorando de entendimento: o vogal do Conselho Diretivo da Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo, Nuno Venade; a presidente do Conselho de Administração do Centro Hospitalar do Oeste, Elsa Baião; o diretor executivo do Agrupamento de Centros de Saúde do Oeste-Sul, António Martins; o diretor do Centro de Estudos de Medicina Baseada na Evidência da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, António Vaz Carneiro; o administrador e a diretora técnica do Campus Neurológico Sénior, João Ferreira e Natália Pona, respetivamente; o diretor clínico do Hospital SOERAD, Francisco Crespo; e uma representante do Hospital CUF de Torres Vedras, Maria Manuel Noronha; entre outros convidados.

 

 

asda